terça-feira, 9 de março de 2010


Quem ditava moda nos anos 50 e 60?

3
O retrô é um dos estilos mais fascinantes e copiados atualmente. Inspirações passadas fazem parte da contemporaneidade feminina, mas não só no que diz respeito a roupas e moda, está presente até mesmo na arquitetura. Para as mulheres mais clássicas, o ladylike nunca sairá de moda, nem as pérolas, saias lápis, chapéus e um ar mais conservador e discreto. Mas afinal, quem ditava moda nos anos passados? É comum lembrarmos de figuras marcantes, de épocas passadas, mas ao mesmo tempo é bom entender a história um pouco mais a fundo.



Nos anos 50, logo após o período pós guerra, a moda feminina foi consolidando-se, ganhando nos tecidos um ar mais glamouroso, e foi aí que Christian Dior tornou-se sucesso com sua moda ''New Look'' que foi ganhando o coração das mulheres da época. Isso tudo tornou-se sinônimo de sofisticação e luxo, ganhando renome. No mesmo período, tornou-se destaque também os cosméticos. Linhas como a Revlon se tornaram tendências fortíssimas.

Contudo, a feminilidade foi exposta por personalidades conhecidíssimas por nós, dentre elas: Grace Kelly e Audrey Hepburn, prestigiadas por seu estilo e personalidade jovial. Marilyn Monroe também esteve a frente na época, e foi um dos grandes símbolos ao lado de Brigitte Bardot, esbanjando sensualidade feminina, na época das pin ups. Ao mesmo tempo, Givenchy, Nina Ricci, Chanel, Dior, Balenciaga entre outros, viviam o apogeu da alta-costura. (O início do fashionismo?)
A moda foi se tornando mais valorizada e apreciada pelas mulheres, a mídia foi cada vez mais evoluindo e ao mesmo tempo dando destaques aos famosos estilistas da época que consagraram-se. Do clássico foi surgindo a moda rock and roll com jaquetas, saias rodadas e suéteres.










Os anos 60 foram a década da liberdade, ou melhor, rebeldia. As meninas foram abandonando as saias comportadas e usando minissaias e calças. A juventude resolveu montar o seu próprio estilo, fugindo de regras e tendências, criando sua própria moda. (A juventude transviada (?) )
Nomes como Natalie Wood e Françoise Hardy ganharam prestígio no que se denominava época da atitude.


O unissex também foi ganhando confiança, e peças masculinas foram incorporadas ao guarda-roupa feminino, como o smoking, graças a Yves Saint Laurent. Uma das mulheres que ''auge'' da década, foi Twiggy, modelo e atriz – o rosto dos anos 60.
Vale lembrar também, que a maquiagem começou a ganhar força total, e olhos marcados eram o foco. A moda masculina foi inspirada nos garotos de Liverpool (Beatles) com bastante paletós sem colarinho, e o clássico cabelo.









É digno de se dizer, que estes anos foram com certeza os responsáveis pelo apogeu que hoje a moda é. Que as fashionistas eternas, serão àquelas que ditaram moda no passado e foram e sempre serão símbolo e inspiração de elegância e classe feminina.

3 comentários:

Fernanda Boubée disse...

Ameeei o post! Muito bem elaborado, parabéns.
E o blog também está muito bem feito. Já estou seguindo.
Passa no meu blog também:
www.mademoiselleboubee.blogspot.com
=*

PLAST!C disse...

É de louvar o teu conhecimento sobre moda, ou a pesquisa que efectuaste para elaborar este post!
De facto sim, todos nós temos ícones, contudo acredito que devemos nos orgulhar da nossa era moderna e decadente em que vivemos actualmente! Mas é sempre bom repescar o passado...

Maic Ane disse...

Gostei muito do post, parabéns!
Eu gosto muito das décadas 50,60,70... Porque foram a que tiveram muita expressão e atitude!

Difícil falar de moda, e não ter uma peça no guarda roupa referente a essas décadas... Nem que seja um rímel!!!

Postar um comentário

Sinta-se à vontade para comentar, criticar e dar sugestões. Sua visita é sempre bem-vinda!!